marcas
  • Home
  • Uncategorized
  • Abandono Total: Duas lojas são arrombadas dentro do Mercado Municipal de Simões Filho, BA
Uncategorized

Abandono Total: Duas lojas são arrombadas dentro do Mercado Municipal de Simões Filho, BA

Duas lojas foram arrombadas, na madrugada desta quinta-feira (11/07), em Simões Filho (BA), na Região Metropolitana de Salvador (RMS). Os estabelecimento comerciais ficam localizado dentro do Mercado Municipal, na Avenida Washington Luis, no Centro. O intervalo entre um crime e outro foi de poucos minutos.


Os bandidos arrombaram uma loja de concerto de celulares, levando diversos aparelhos de clientes que deixaram no estabelecimento para manutenção. Minutos depois, os criminosos entraram em uma loja de calçados e levaram vários equipamentos. “Eu quero saber quem vai pagar essa conta, como pode acontecer isso dentro do Mercado Municipal, cadê a segurança? Como vou levar o pão de cada dia para casa?”, questionou um dos proprietários.
Casa Lotérica
No inicio deste mês, criminosos também arrombaram uma casa lotérica localizada dentro do Mercado Municipal de Simões Filho, e levaram o cofre com todo o dinheiro. O crime aconteceu durante a madrugada do dia 1º de julho. Segundo populares, os criminosos utilizaram uma casa de bombas, onde fizeram o arrombamento e tiverem acesso à lotérica. O caso foi registrado como furto qualificado com destruição ou rompimento de obstáculo e será investigado pela Polícia Civil.

LEIA TAMBÉM

Funcionários do Hospital Português denunciam suposto desconto irregular no salário

Redação

FacebookTwitter Foto: Divulgação/MPBA Foto: Divulgação/MPBA O major do Corpo de Bombeiros Valdiógenes Almeida da Cruz Júnior foi condenado a 15 anos, um mês e 15 dias de prisão pelo assassinato da sua companheira, a professora Sandra Denise Costa Alfonso. O julgamento popular foi realizado na terça-feira (17) e divulgado pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA) nesta quarta (18). A denúncia do MP contra o major foi sustentada pela promotora de Justiça Isabel Adelaide. A sentença foi proferida pela juíza Gelsi Maria Almeida de Souza, que manteve a prisão preventiva do condenado. O júri considerou Valdiógenes culpado por feminicídio cometido por motivo torpe e sem possibilitar defesa da vítima. Segundo a denúncia, feita em 2016 pela promotora de Justiça Ana Rita Cerqueira, o major disparou seis vezes contra Sandra Denise na manhã do dia 13 de maio de 2016 dentro da Escola Municipal Esperança de Viver, em Tancredo Neves, local onde ela trabalhava. Preso em flagrante, Valdiógenes Almeida alegou como “justificativa” que atirou contra a vítima porque ela teria relações extraconjugais duradouras.

Redação

AGENTES DE TRÂNSITO REIVINDICAM PORTE DE ARMA EM EVENTO NA ALBA

Redação

DEIXE UM COMENTÁRIO