marcas
  • Home
  • Bahia
  • Bolsa Família corta cerca de 200 mil benefícios em julho
Bahia Destaque

Bolsa Família corta cerca de 200 mil benefícios em julho

O Bolsa Família corta cerca de 200 mil benefícios em julho
.

Segundo o que foi divulgado no site do programa, em junho foram pagas mais de 14 milhões de famílias. Já neste mês de julho o número caiu para 13,8 milhões. O pagamento dos beneficiários começou na quinta-feira, dia 18, e obedece um calendário que leva em conta o número final de cadastro da família. Esse mês o valor médio pago pelo benefício subiu um pouco, chega a R$ 188,51.

Essas oscilações mensais dos números é normal, pois a folha de pagamentos do programa todos os meses apresenta “oscilações mensais de seu quantitativo em virtude dos processos de ingresso de famílias no programa, cancelamentos e manutenções dos benefícios.

Sair do programa, mas preciso do benefício. O que fazer?

Segundo o Ministério da Cidadania, famílias consideradas abaixo da linha da pobreza, com renda per capta de até R$ 178 por mês, tem retorno garantido ao programa. Para solicitar a reinclusão, o beneficiário deve procurar o setor responsável pelo Bolsa Família de seu município. É necessário levar CPF ou título de eleitor e documento de identificação do responsável familiar. Além disso, é preciso apresentar a documentação de todos os integrantes da família, para atualizar o cadastro.

No final do mês de junho, o Ministério da Cidadania recuperou R$ 85 mil reais de 69 beneficiários do Bolsa Família na região Norte que estavam recebendo o dinheiro indevidamente. Essa foi a primeira vez que o governo federal consegue recuperar recursos que estavam sendo pagos a pessoas que não atendiam mais aos critérios de elegibilidade do programa. O montante voltou aos cofres públicos da União.

Ao todo, foram abertos 2.663 processos administrativos de cobrança e a expectativa é que R$ 4,3 milhões voltem aos cofres públicos ainda neste ano.

As famílias que não apresentaram defesa e não pagaram a Guia de Recolhimento da União (GRU) serão incluídas na Dívida Ativa da União e impedidas de ingressar no Bolsa Família, mesmo cumprindo os demais critérios de elegibilidade. Se ainda estiverem dentro do perfil, as famílias que quitaram o débito poderão ser selecionadas para retornar ao programa após um ano. A cobrança de ressarcimento de valores do Bolsa Família é fruto do cruzamento de dados realizado pelo Tribunal de Contas da União (TCU), iniciado em 2018. O levantamento mostrou que as famílias tinham renda maior do que a declarada no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal

LEIA TAMBÉM

Etanol: Coronel quer derrubar portaria que salva usinas americanas e prejudica as brasileiras

Redação

6° Congresso da UMADEUS

Redação

Prefeitura entrega obra de contenção de encosta em Plataforma

Raniel

DEIXE UM COMENTÁRIO