marcas
  • Home
  • Bahia
  • Parecer de Kannário torna obrigatório cumprimento do horário de início de shows
Bahia Destaque

Parecer de Kannário torna obrigatório cumprimento do horário de início de shows

O deputado federal Igor Kannário deu parecer favorável à aprovação do projeto de lei que torna obrigatório o cumprimento do horário de início de shows, espetáculos e apresentações públicas em que haja cobrança de ingresso, de autoria da deputada Edna Henrique (PSDB-PB). Relator da matéria na Comissão de Cultura da Câmara, Kannário acredita que a proposta traz benefícios para o setor cultural, por dar maior credibilidade a essas apresentações e atrair mais público.

“Quanto mais garantias dermos ao público, mais a população terá certeza na participação, afluindo aos eventos até mesmo com suas famílias. No caso que estamos apreciando, acho que há razoável exigência aos organizadores dos espetáculos, pois a proposição excepciona as situações de caso fortuito ou força maior, devidamente comprovada e justificada por escrito, desde que os responsáveis pela demora não tenham lhe dado causa”, afirma, no relatório.

proposta ainda diz que, “ultrapassada a tolerância de uma hora para eventuais atrasos para o início da apresentação de espetáculos pagos, o consumidor terá até uma hora para formalizar, pessoalmente ou por meio eletrônico, sua desistência perante a organização do evento e solicitar a imediata restituição do valor que fora pago a título de ingresso”.

Para Kannário, a medida dá “maior segurança e tranquilidade para os espetáculos pagos no nosso País, e por conseguinte, maior desenvolvimento do setor cultural”. O relatório ainda será votado na Comissão de Cultura e, depois, segue para a apreciação da Comissão de Constituição e Justiça.

LEIA TAMBÉM

Plenário da Câmara vira palco de abertura oficial da Semana da Pessoa com Deficiência

Redação

FacebookTwitter Foto: Divulgação/MPBA Foto: Divulgação/MPBA O major do Corpo de Bombeiros Valdiógenes Almeida da Cruz Júnior foi condenado a 15 anos, um mês e 15 dias de prisão pelo assassinato da sua companheira, a professora Sandra Denise Costa Alfonso. O julgamento popular foi realizado na terça-feira (17) e divulgado pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA) nesta quarta (18). A denúncia do MP contra o major foi sustentada pela promotora de Justiça Isabel Adelaide. A sentença foi proferida pela juíza Gelsi Maria Almeida de Souza, que manteve a prisão preventiva do condenado. O júri considerou Valdiógenes culpado por feminicídio cometido por motivo torpe e sem possibilitar defesa da vítima. Segundo a denúncia, feita em 2016 pela promotora de Justiça Ana Rita Cerqueira, o major disparou seis vezes contra Sandra Denise na manhã do dia 13 de maio de 2016 dentro da Escola Municipal Esperança de Viver, em Tancredo Neves, local onde ela trabalhava. Preso em flagrante, Valdiógenes Almeida alegou como “justificativa” que atirou contra a vítima porque ela teria relações extraconjugais duradouras.

Redação

Em comemoração ao dia do músico, no próximo dia 22, sexta-feira, Léo Telles realizará um pocket show na praça do campo de futebol em Areia Branca

Redação

DEIXE UM COMENTÁRIO