marcas
  • Home
  • Destaque
  • Programa Criança Feliz se adapta à crise sanitária da Covid-19
Destaque

Programa Criança Feliz se adapta à crise sanitária da Covid-19

Estimular o desenvolvimento cognitivo, motor e afetivo da criança nos primeiros anos de vida é a missão do Criança Feliz. É assim com a pequena Amanda Manoela dos Reis, de 5 anos, que tem hidrocefalia e desde 2018 é acompanhada pelo programa. A visitadora do programa orienta a mãe com atividades para estimular a menina.

A mãe de Amanda, Dayanne Almeida dos Reis, que vive em São Mateus (ES), conta que, apesar de previsões anteriores, a filha hoje é uma menina muito inteligente e esperta. “Quando fui fazer meu último ultrassom, constou que minha filha teria que fazer duas cirurgias. Minha bebê tem hidrocefalia e por isso usa uma válvula. Na época, o médico me falou que ela poderia ter um raciocínio lento e teria dificuldades para aprender.”Dayanne Almeida dos Reis e sua filha Amanda que vivem em São Mateus (ES). Créditos: EBC

“Em 2018, a tia Claudia, que é assistente social do projeto Criança Feliz, ajudou muito a gente, ela manda exercícios para a Amanda. Desde o início da crise sanitária, tem sido muito prestativa. Ela não tem vindo aqui em casa com tanta frequência quanto antes, mas sempre conversamos pelo WhatsApp”, relatou Dayanne.

Mesmo com a limitação de contato social imposto pela Covid-19 desde o ano passado, o Criança Feliz não parou. Baseado na visita domiciliar, o programa se adaptou à nova realidade. O acompanhamento e orientação continuaram de forma semipresencial e remota com o uso de WhatsApp, e-mail, videochamadas e ligações telefônicas com ações complementares para as famílias. A comunicação também pode ser por correspondência física, com entrega via correio de cartas com orientações, atividades e materiais.

Em 2020, o Criança Feliz superou a marca de mais de um milhão de crianças e gestantes acompanhadas, num total superior a 42 milhões de visitas com a missão de estimular o desenvolvimento de crianças com idade até 6 anos.

Por isso, segundo ela, adaptar o programa aos novos moldes impostos pela Covid-19 foi fundamental. “Nós não podíamos deixar de atender as famílias, de fazer nosso papel, de levar informação, estímulos para que as famílias realizassem atividades para o desenvolvimento de seus filhos. Tivemos o cuidado de disponibilizar cursos, lives, materiais de orientação, possibilitando às nossas equipes em campo fazer um acompanhamento remoto com essas famílias. Porque sabemos que a visita domiciliar é essencial para essas famílias.”

Por isso, segundo ela, adaptar o programa aos novos moldes impostos pela Covid-19 foi fundamental. “Nós não podíamos deixar de atender as famílias, de fazer nosso papel, de levar informação, estímulos para que as famílias realizassem atividades para o desenvolvimento de seus filhos. Tivemos o cuidado de disponibilizar cursos, lives, materiais de orientação, possibilitando às nossas equipes em campo fazer um acompanhamento remoto com essas famílias. Porque sabemos que a visita domiciliar é essencial para essas famílias.”

Por isso, segundo ela, adaptar o programa aos novos moldes impostos pela Covid-19 foi fundamental. “Nós não podíamos deixar de atender as famílias, de fazer nosso papel, de levar informação, estímulos para que as famílias realizassem atividades para o desenvolvimento de seus filhos. Tivemos o cuidado de disponibilizar cursos, lives, materiais de orientação, possibilitando às nossas equipes em campo fazer um acompanhamento remoto com essas famílias. Porque sabemos que a visita domiciliar é essencial para essas famílias.”

LEIA TAMBÉM

Bruno Reis relembra Bonfim de 2020 e diz que pediu “força para enfrentar missões”

Raniel

Comissões de Justiça e Finanças elaboram parecer das contas do Executivo de 2017; votação em plenário está prevista para ocorrer na próxima semana

Redação

Radares e Talonário Eletrônicos serão implantados para fiscalização de trânsito de Simões Filho, anunciou Jackson Bomfim

Redação

DEIXE UM COMENTÁRIO